A ideia é sim arrecadar dinheiro, mas também é criar um momento de descontração entre os convidados. É uma tradição antiga, quem contribui com dinheiro ganha um pedaço da gravata do noivo. Tem convidado que foge, tem outros que contribuem pouco, e tem aqueles que são generosos. Mas, independentemente disso, cria-se uma situação delicada, que tem uma linha tênue entre a diversão e o constrangimento.

Para muitas escolhas, por menor que os detalhes sejam, devemos levar em consideração qual a essência do casal, ou seja, o estilo dos noivos e o que condiz com as suas personalidades. Desta forma, antes de resolver o que vocês podem ou não colocar no casamento, pensem sempre se isto agrada a vocês dois. Depois, avaliem seus convidados, quem são em sua maioria, e, se isto pode ou não causar constrangimento entre eles. No caso dos noivos serem descontraídos e terem optado por um evento com decoração de casamento menos tradicional, a brincadeira será divertida e seguirá com o estilo da festa. Mas se optaram por uma cerimônia e recepção mais formal, e não existe uma intimidade com a maioria dos convidados, onde sua família e seus amigos são mais tradicionais, com direito a decoração da igreja de casamento e festa com todos os princípios e leis da etiqueta, às vezes a brincadeira da gravata pode soar como algo deselegante.

De toda forma, se optarem por fazer a brincadeira. Ainda sim leve em consideração os itens acima, caso sua cerimônia seja mais clássica, conversem com o “passador de gravata” para que seja discreto, reforce com o cerimonial para que a ação seja feita no final da festa, com os convidados dispersos ou opte por uma lembrancinha ou um bilhete de sorteio, por exemplo, pois isso pode ajudar a quebrar o clima e deixar a brincadeira mais descontraída.